terça-feira, 5 de novembro de 2013

Cultura Infantil e Cultura Escolar - Cyber-Infantes e Multitasking

Atualmente as tecnologias digitais fazem parte da vida da maioria dos cidadãos, independente de sua faixa etária, gênero e classe social. As pessoas necessitam das TD’s para troca de informações, sendo uma importante ferramenta de comunicação.

O encontro entre as diferentes gerações usuárias das novas tecnologias pode ocorrer de forma contínua no meio educacional, tendo em vista que tanto educandos quanto educadores já dispõe delas e as utilizam. A promoção deste encontro deve partir do educador, pois é este que deve romper os paradigmas da educação e de seu próprio planejamento, propondo ações que estabeleçam um elo entre as TD’s e os seus objetivos curriculares.

As novas gerações de alunos estão cada vez mais imersos em tecnologias, as Cyber-Infantes (culturas infantis) dominam os espaços sociais, e cabe ao professor propor encontros que utilizem de recursos tecnológicos, já em uso pelos alunos, considerados nativos digitais. Para ilustrar os conceitos de Cyber-Infantes, criei um vídeo utilizando a iconografia, onde procurei inserir diversos momentos de minha prática pedagógica, em que as aulas foram mediadas pelas novas tecnologias.

Neste vídeo busquei explicitar os conceitos das Cyber-Infantes e Multitasking. Buscando na iconografia formas de demonstrar tais conceitos pude perceber que realmente, cada vez mais as crianças estão imersas nas tecnologias digitais. No segundo momento do vídeo, busquei demonstrar de que forma busco estreitar o meu planejamento com as TD’s, sempre com o intuito de desenvolver ações que propiciem a aprendizagem no ambiente escolar a partir da interação entre alunos e as novas tecnologias. Nesta segunda etapa do vídeo, fiz um resgate de minha jornada como professor, mostrando registros fotográficos de minhas aulas mediadas pelas tecnologias digitais.



Propus de forma simples as ideias de culturas infantis, de que forma ocorrem, desde tão cedo, nos mais diferentes meios. A ideia de multitasking também ficou bem explícita como uma característica das pessoas que vivem no século XXI, que por necessidade ou naturalidade realizam diversas tarefas ao mesmo tempo.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Física em Quadrinhos - Hidrostática

Este post traz trabalhos realizados pelos alunos do 2º ano do Ensino Médio – Noturno, do Instituto Estadual de Educação Barão de Tramandaí.


A proposta do trabalho era construir histórias em quadrinhos envolvendo os conceitos estudados em sala de aula sobre Hidrostática, utilizando ferramentas tecnológicas.

O resultado deste trabalho foi muito envolvimento e criatividade na elaboração das histórias. 

Confira abaixo alguns quadrinhos criados pelos alunos. Para visualizar melhor os quadrinhos clique nas imagens para ver ampliado.


Deni e Samatha. Turma: 21N

Juliana Rosa. Turma 21N

Chaiane e Luana. Turma 20N

Catieli e Rayssa. Turma 21N

Andréia e Danielle. Turma 21N

Willian e Jean. Turma 21N

Gabriela. Turma 20N

 
Jennifer e Sophia. Turma 20N

 
Lucas e Jorge. Turma 21N

 
Luiz Henrique. Turma 20N

 
Angelo. Turma 22M
 
Ariel. Turma 22M

 
Fernanda. Turma 22M

 
Flávia. Turma 22M

 Luan. Turma 22M

 
 
Natálha. Turma 22M

Projeto Trocando Ideias - Ética e Decência nas Redes Sociais

 Escola Municipal de Ensino Fundamental
General Luiz Dêntice
EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS




Projeto Trocando Ideias : Ética e Decência nas Redes Sociais

Pesquisa em sala de aula e no Laboratório de Informática

1.      O que são redes sociais?
2.      Quais são os tipos de redes sociais?
3.      Qual a rede social mais utilizada no Brasil? E nos EUA? E na Europa?
4.      Qual é a quantidade de usuários brasileiros em cada uma das principais redes sociais existentes?
5.      Quem utiliza mais as redes sociais, as mulheres ou os homens?
6.      Em relação à faixa etária, há diferença no número de usuários crianças, jovens, adultos e idosos?
7.      Qual a influência das redes sociais na comercialização de produtos, serviços e marcas?
8.      Existem redes sociais específicas para escolas, com o intuito de favorecer a aprendizagem? Em caso afirmativo, dê seu nome?
9.      Quais são os impactos das redes sociais na vida escolar e social dos alunos?
10.  As redes sociais influenciam no desempenho escolar dos alunos?
11.  Quais são os principais cuidados que os usuários devem ter para utilizarem as redes sociais?
12.  Quais são os crimes virtuais mais comuns nas redes sociais?
13.  Quais são os golpes virtuais mais comuns nas redes sociais?
14.  Usar redes sociais para postar detalhes da vida pessoal e profissional às vezes pode acabar mal. Procure exemplos que mostram como isto pode prejudicar a vida pessoal e profissional do usuário?
15.  Pesquise relatos, imagens e vídeos sobre ética e moral nas redes sociais.

Questionário para entrevista com usuários de redes sociais

1.      Qual a sua idade?
2.      Gênero do usuário: (     )Masculino (     )Feminino
3.      Em quantas redes sociais você possui conta?
4.      Quais são elas?
5.      Há quanto tempo você a(s) utiliza? (Em caso de mais de uma, dê o tempo da mais antiga.)
6.      Qual o tempo médio diário de utilização das redes sociais?
7.      O que você procura nas redes sociais?
Preencha as lacunas com os códigos que indicam o seu grau de interesse:
Para assuntos de ALTO interesse use 3
Para assuntos de MÉDIO interesse use 2
Para assuntos de BAIXO interesse use 1
(     ) Postar fotos                                        (     ) Procurar amigos
(     ) Conversar com amigos                                  (     ) Jogos, aplicativos
(     ) Namorar                                                        
(     ) Emitir sua opinião sobre assuntos diversos
(     ) Entretenimento (humor, piadas, curiosidades,...)

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Três anos de uma curta, mas intensa vida como professor!


            Durante minha formação na educação básica, sempre admirei meus professores, pela forma com que desenvolviam os conteúdos curriculares e construíam caminhos para uma melhor aprendizagem dos alunos. Por este motivo, decidi ao concluir o ensino médio, que iria realizar uma licenciatura para ser um discípulo de meus mestres.

Instituto Estadual de Educação Barão de Tramandaí
            Atualmente sou professor da rede municipal de Tramandaí, e da rede estadual. Atuo em duas escolas: Escola Municipal de Ensino Fundamental General Luiz Dêntice e no Instituto Estadual de Educação Barão de Tramandaí. Na rede municipal já tive passagem por outras quatro escolas conhecendo realidades bem distintas dentro de um mesmo município.

           Com carga horária semanal de 60 horas, tenho 16 turmas, e cerca de 400 alunos. Ministro aulas de matemática e física, no ensino fundamental (regular e EJA), e ensino médio (regular e curso normal).
EMEF General Luiz Dêntice
Com três anos de experiência nesta profissão, já vivenciei momentos marcantes e inesquecíveis em minha trajetória e que irei guardar comigo para o resto de minha vida. Neste período pude desenvolver projetos que beneficiaram a aprendizagem dos alunos e enriqueceram o meu trabalho em sala de aula.
Um dos momentos inesquecíveis em minha trajetória como professor foi à aplicação do projeto “Utilizando ferramentas tecnológicas no ensino de múltiplos e divisores dos números naturais”, em turmas de 6º ano na Escola Municipal de Ensino Fundamental Nossa Senhora das Dores. Por este projeto, pude participar do Prêmio Professor Viver Digital 2012, ficando em 2º lugar na etapa nacional do prêmio, que objetivava destacar as práticas pedagógicas exitosas que fizessem uso das novas tecnologias.
2º lugar (Andrios Bemfica dos Santos - Tramandaí/RS) e
1º lugar (Patrícia Nogueira - Ribeirão Preto/SP) no Prêmio Professor  Viver Digital 2012

Presente da turma 20M - 2012 - Caneca Misteriosa.
Momentos especiais vivenciados em sala de aula com os alunos diariamente, tanto em práticas pedagógicas quanto em conversas informais sobre assuntos diversos, são frequentes e tem um lugar especial em minha memória. Confraternizações, jantas, almoços, práticas em laboratório, saídas de estudos, passeios, formaturas, .... , enfim, momentos que somente a educação nos proporciona, marcaram estes três anos de uma curta mas intensa vida profissional.
Presente da turma 20M - 2012 - Minha miniatura.

Atividades práticas em laboratório no Instituto Barão.
Certificado pelos alunos premiados na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas em 2012.

Alunos João Vitor e Gabriel do Instituto Barão que receberam Certificado de Menção Honrosa na OBMEP de 2012.
Equipe vencedora na Gincana Farroupilha da Escola Dêntice.


Atividade prática com os alunos da EJA - Dêntice.

Almoço de confraternização no apartamento do professor com turma do Instituto Barão.

Amo as escolas em que atuo, carrego seus logos no peito, suas missões e filosofia são o meu lema, busco sempre realizar o melhor por elas. O “Instituto Barão”, como é conhecido e chamado pela comunidade tramandaiense, é meu vizinho e é a escola em que estou trabalhando há mais tempo. Tenho um carinho muito grande pelos meus alunos e colegas professores e funcionários. Ali me sinto em casa, e desenvolvo meu trabalho com seriedade e compromisso com a qualidade. Na “Escola Dêntice” - como é chamada nossa querida escola da São José - encontrei uma grande família. Posso dizer que fui adotado por todos na escola, por ser o mais jovem professor e pelo grande carinho que recebo de todos os colegas. O clima de trabalho é maravilhoso, e os laços de amizade com meus colegas favorecem o trabalho em equipe e o desenvolvimento de projetos integradores. Enfim, sou feliz onde trabalho, pelos colegas que tenho e pelos amigos que adquiri nesta caminhada.
Grupo de professores da Escola Dêntice.
Mas nem tudo termina ao agarrar o canudo na formatura, ou ver o nome na lista de aprovado em um concurso público. O está em constante formação! Por acreditar que o professor deve estar em constante formação, busquei cursos de especialização em áreas que tenho afinidade. Juntamente com a minha carga horária de sala de aula semanal, também realizo três cursos, buscando melhorar minha prática pedagógica. Curso licenciatura em Física pela Universidade Federal de Santa Maria, e faço duas especializações pela Universidade Federal de Rio Grande, uma em Tecnologias da Informação e Comunicação aplicadas a educação, e a outra em Matemática.


Alunos da EMEF Marechal Castelo Branco
trabalhando com netbook's na sala de aula
            Busco sempre estar me atualizando e renovando minha prática docente. Como um legítimo representante da geração Y ou geração da internet e das tecnologias – definição de alguns sociólogos para os nascidos na década de 80 – sempre possui um grande gosto pelas novas tecnologias aplicadas ao ensino. Em minha formação acadêmica sempre direcionei meus interesses nas novas tecnologias como ferramenta didática.
Formação para professores sobre
TIC's na educação
            Sempre buscando fazer um elo entre o conhecimento científico nas áreas mencionadas e suas aplicações no meio tecnológico. Neste período, pude levar minhas construções e ideias em diversos eventos com enfoque na utilização de ferramentas tecnológicas no ensino. A socialização de tais práticas pedagógicas evidenciou sempre uma grande necessidade da educação em buscar novos caminhos e se atualizar, de modo a tornar o desenvolvimento dos conteúdos curriculares mais atrativos e atualizados para os alunos.
Aluno da EMEF Jorge Enéas Sperb
utilizando a lousa digital.
            Trago as novas tecnologias como ferramentas didáticas, para tornar minhas aulas mais dinâmicas, atrativas, contextualizadas e atuais. Utilizo todos os espaços e recursos de que as escolas dispõem, como laboratório de informática, netbook’s, datashow e lousa digital, sempre com o intuito de desenvolver os conteúdos curriculares.

Ser profissional em educação exige um constante recomeçar, um constante aprender, e é isso que busco a cada dia, a cada aula, novos caminhos para a minha prática profissional.


quarta-feira, 9 de outubro de 2013

IV Ciclone do Saber - Venha participar deste fenômeno do conhecimento!

O Instituto Estadual de Educação Barão de Tramandaí convida a todos a visitarem o Ciclone do Saber – Mostra Científica, Cultural e Artística da escola. A quarta edição deste fenômeno do conhecimento será realizada nas dependências da escola nos dias 30 e 31 de outubro.

O IV Ciclone do Saber refere-se à uma mostra de trabalhos, pesquisas e experimentos desenvolvidos no decorrer do ano letivo ou criado pelos alunos envolvendo as áreas do conhecimento presentes na grade curricular da escola.
A mostra recebe este nome em alusão ao ciclone extratropical que atingiu o litoral norte gaúcho em 2009, atingindo e danificando a estrutura da escola. Atualmente o Ciclone que atinge a escola é o fenômeno do conhecimento, a maior mostra de trabalhos desenvolvidos por alunos do município de Tramandaí.
São mais de 150 trabalhos expostos, 33 turmas, mais de 900 alunos envolvidos, enfim um grande evento do conhecimento!
No vídeo abaixo você poderá conferir entrevistas com a diretora do Instituto Barão, professora Adriana Nunes, e os supervisores educacionais, professor Ubirajara Gomes e professora Adriana Soares, em que relatam sobre a importância deste projeto para a escola e para a formação dos alunos, promovendo a pesquisa e o gosto pelo estudo.






Você é nosso convidado! Venha participar deste fenômeno do conhecimento!


CRONOGRAMA:

   Dia 30/10 – Quarta-feira :

·         Tarde – 13h30min às 16h:

o   Ciclone do Saber Mirim.
Ø  Exposição de trabalhos dos alunos do Ensino Fundamental (1º ano à 7ª série).
o   Ciclone do Saber – Curso NAE.

·         Noite – 19h30min às 22h:

o   Ciclone do Saber – Ensino Médio Noturno

  
Dia 31/10 – Quinta-feira :

·         Manhã – 9h às 11h30min:

o   Ciclone do Saber:
Ø  Exposição de trabalhos dos alunos da 8ª série do Ensino Fundamental, Ensino Médio Diurno e Curso Normal.

·         Tarde – 13h às 16h:

o   Ciclone do Saber:
Ø  Exposição de trabalhos dos alunos da 8ª série do Ensino Fundamental, Ensino Médio Diurno e Curso Normal.

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Música sobre Cinemática

Nesta postagem, está disponível uma música composta e interpretada pelo Profº Pachecão, que fala sobre os movimentos uniforme e uniformemente variado, bem como os movimentos de queda livre (lançamentos vertical para cima e para baixo).



Para fazer o download da música clique aqui.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Experimento do Foguete - 3ª Lei de Newton, Quantidade de Movimento e Impulso

O experimento apresentado nesta postagem se refere a conceitos importantes da Dinâmica, uma das três áreas da Mecânica. Nele é possível visualizar um par de forças ação e reação (3ª Lei de Newton), observar que a Quantidade de Movimento de um corpo depende de sua massa e velocidade, e que o Impulso é o produto de uma força pelo tempo de aplicação da mesma.
Este experimento foi proposto pelo Professor Luiz Ferraz Netto e esta disponível no site: http://www.feiradeciencias.com.br/sala05/index5.asp


Introdução:
Esse modelo de "foguete" é barato e fácil de se fazer. Pode ser usado, no plano didático, para evidenciar a terceira lei de Newton, conceituar quantidade de movimento e impulso.


Material:
·         Placa de madeira de (20 x 10 x 1) cm
·         3 pregos
·         Bacia com água
·         Tira de elástico, fio de linha e tiras de papel jornal.


Montagem:
O foguete é construído com madeira leve e espessura de 1cm. Conforme se ilustra, espetam-se na madeira três pregos. A tira de elástico (pode ser de látex, usado para prender dinheiro) é presa nos dois pregos traseiros e esticada até o terceiro prego mediante um fio de linha. O elástico deve exercer uma boa tensão e, seu tamanho deve ser selecionado adequadamente.



Um pedaço de papel jornal, tira enrolada e dobrada fazendo um "V", é colocado na região central do elástico e apoiada sobre o fio de linha.
O foguete é colocado em uma bacia contendo água (aquário ou piscina para crianças) e que lhe permita alguma mobilidade.


Procedimento:
Com um fósforo, queima-se o fio que segura o elástico. Quando o fio arrebenta, o pedaço de papel é ejetado para trás e o foguete move-se ligeiramente para a frente (figura B).
Fazendo-se a experiência sem o pedaço de papel pode-se mostrar que não haverá deslocamento do "foguete" pois nada que faça parte dele foi lançado.
Procure, em cada experimento, usar sempre o mesmo comprimento de linha para reproduzir sempre a mesma tensão no fio.
Num segundo experimento, coloque enrolada e dobrada juntas, duas tiras de papel jornal. Observe o efeito com esse jato mais pesado.
Saliente isso: quanto maior a massa ejetada maior o impulso para a frente.
Num terceiro experimento, coloque a tira de papel em V e dobre a tensão no elástico (dando o dobro da deformação) e compare os deslocamentos do foguete.
Saliente isso: quanto maior a velocidade da massa ejetada maior o impulso para a frente.
Num quarto experimento, coloque duas tiras de papel enroladas e dobradas em V (como no segundo experimento) e dê ao elástico o dobro de tensão (como no terceiro experimento) e compare os deslocamentos do foguete.
Saliente isso: o impulso para a frente depende, ao mesmo tempo, da massa ejetada e de sua velocidade.


Observação:
Neste experimento é possível perceber os conceitos de quantidade de movimento (como produto da massa pela sua velocidade), impulso (como produto da força pelo intervalo de tempo em que ela age) e da conservação da quantidade de movimento. A velocidade com que o papel é ejetado, por exemplo, pode ser estimada mediante o uso da conservação da quantidade de movimento do sistema.



Exemplo de aplicação:
         Assista no vídeo abaixo a atividade experimental elaborada pelos alunos Israel Estevão Ross e Murilo Luiz Burim de Apucarana - PR.

domingo, 7 de julho de 2013

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Webquest sobre MRUV

Clique no banner abaixo para acessar o Webquest sobre MRUV.


Webquest sobre Energia Cinética e Potencial

Clique no banner abaixo para acessar o webquest sobre Energia Cinética e Potencial.


O que é um Webquest?

Webquest é uma metodologia que direciona o trabalho de pesquisa utilizando os recursos da internet. É também uma oportunidade de realizar um trabalho guiado, filtrando toda a informação disponibilizada na rede mundial de computadores.

Além destes benefícios, há vantagem ao utilizar uma menor quantidade de material impresso. Segundo Márcio Rocha, responsável pelo departamento financeiro do Instituto Estadual de Educação Barão de Tramandaí, a escola gasta em média 60 mil folhas A4 mensalmente. Este gasto é para toda a demanda nos setores pedagógico e administrativo, porém a grande maioria é para impressão de materiais paradidáticos e avaliações.

Neste sentido, trabalhar com webquest’s possibilita ao professor realizar um trabalho em consonância com as novas tecnologias aplicadas no contexto educacional, e, além disto, promove ações de redução de gastos e consumo consciente do papel na escola. Abaixo assista um vídeo que mostra dados sobre o consumo de papel no mundo, seus impactos ambientais e a importância de projetos ecologicamente corretos.



ESTRUTURA DE UMA WEBQUEST

1. Introdução - É o primeiro passo para a produção de uma webquest, é a página onde o aluno se sentirá bem vindo. Deve oferecer possibilidade de pensar e analisar com criticidade o tema sugerido.

2. Tarefa - É a definição do que o aluno terá que executar para terminar a atividade. Nesta parte da webquest o aluno age participando e colaborando com a construção do conhecimento.

3. Processo - Ao apresentar a proposta de trabalho aos aluno, as regras devem ser poucas, possíveis de cumprir e ajustadas as condições da turma.

4. Recursos - Caminhos a serem percorridos. É o momento de apresentar as fontes de informações necessárias para que a tarefa possa ser cumprida (links sugeridos).

5. Avaliação - Momento de reflexão e aprendizagem.É uma forma de análise das descobertas realizadas. Na avaliação o aluno deve ser informado sobre como seu desempenho será avaliado. Pode-se apresentar tabelas, fichas e questionários na avaliação.

6. Conclusão - Ligada a avaliação, a conclusão é uma forma de apresentar um resumo das aprendisagens, bem como, os pontos que poderão ser retomadosem outros momentos.

Em geral, uma webquest é elaborada pelo professor, para ser solucionada pelos alunos, reunidos em grupos. A webquest sempre parte de um tema, propõe uma tarefa, indica o processo e os recursos. A avaliação é feita pelos alunos com auxílio do professor e a conclusão traz um resumo da webquest e apresenta os pontos que deverão ser retomados em outras oportunidades.


Referências:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...